Tudo que eu aprendi viajando

tudo-que-eu-aprendi-viajando

Pra mim, viajar nunca foi somente colocar o pé na estrada e conhecer um lugar novo. É muito, mas muito mais que isso. Sempre foi a forma de viver novas experiências, de crescer como pessoa e também como profissional, de superar medos, de vencer desafios e de transformar o jeito de viver a vida. Enfim… eu poderia passar horas e horas contando sobre como e quanto evolui em cada um dos destinos por onde passei, mas resolvi trazer pra você a essência de tudo que aprendi viajando

Quem sou eu?

Antes de continuar deixa eu me apresentar. 

Rodrigo Schmiegelow, publicitário especializado em Marketing Digital, hoje vivo como Nômade Digital (o que é isso), isso é, tenho liberdade geográfica e trabalho de qualquer lugar do mundo.

Iniciei uma viagem pelo mundo para conhecer lugares, culturas e culinárias regionais e vou trazer grandes surpresas a partir dessas experiências.

Siga o blog do Projeto O Mundo em Lanches pelo Instagram e acompanhe todas as novidades.

Voltando ao tema deste post…

Como eu disse: eu poderia escrever um livro com tudo que aprendi durante as minhas viagens, mas, eu resumi um pouco do que vivi e decidi compartilhar isso com você! 

Tenha uma leitura… inspiradora!

Os perrengues me ensinaram e muito 

Exemplo disso foi a experiência que vou contar a seguir. 

Quando fui pra Argentina, resolvi arriscar pegar a antiga Ruta 40, mesmo parecendo que a serra era de terra e mesmo depois de ver alguns relatos negativos na internet sobre o lugar. 

Bom, de fato a estrada era péssima! Ela era de areia, o que é pior que terra, e, depois de umas quatro horas rodando, vi que o céu estava fechando. A impressão era de que havia uma tempestade no horizonte, mas ela não chegava em mim.

Quando passei em frente a um vilarejo, o La Jaula, um cachorro saiu da uma casa e atravessou na frente da moto. Conclusão: mesmo tentando escapar do animal, acabei me chocando com ele e caí tentando frear. O cachorro ficou bem! E nesse meio tempo algumas pessoas daquele vilarejo vieram me ajudar. 

Foi o tempo de estacionar a moto no quintal das pessoas que me acolheram para começar a cair pedras de gelo do tamanho de bolas de golf com muita força. Aquela tormenta derrubou vários trechos da estrada e eu não pude ir embora nem por onde vim e nem por onde eu planejei ir. 

Conclusão: fiquei quatro noites acampando naquele quintal, e por muitas vezes pensei que aquele cachorro salvou minha vida. Nunca, algum cachorro atravessou na frente da moto como esse fez. Parece exagero falando, mas o desmoronamento de pedras que levaram trechos da estrada de terra foi muito forte, e aquela família me disse que, em uma ocasião anterior, um dos motociclistas que por ali passou não conseguiu resistir. 

Posso dizer que essa viagem foi minha maior experiência em termos de aprendizados:

  • Estar em um vilarejo de quatro casas, com poucos recursos, me mostrou que não preciso de muito para ser feliz. 
  • Além disso, como fiquei sem sinal de celular, aos poucos minha ansiedade diminuiu muito, pois lá era tudo tranquilo, sereno e muito bonito.
  • Essa experiência mostrou também a impotência em não poder fazer nada em situações como essa. Nem tudo dá pra planejar! 

Esse é um resumão e tanto do que aprendi viajando

As pessoas que você conhece durante uma viagem deixam lições importantes

Muito mais do que os destinos, as pessoas que ali estão podem transformar a nossa vida. 

Eu poderia citar uma lista enorme de pessoas que me deixaram aprendizados incríveis durante minhas viagens, mas vou dividir mais uma história com você!

A receptividade chilena foi bem interessante e me marcou bastante. Pra mim, o povo de lá tem o melhor do uruguaio, ou seja, ajuda como for preciso, e do argentino, que são calorosos e receptivos. E isso ficou ainda mais evidente quando a crise sanitária do início da pandemia apertou.

Primeiramente, dois amigos que fiz na estrada me ofereceram um espaço para deixar a moto por quanto tempo eu precisasse, além de um lugar para passar alguns dias enquanto me organizava para voltar para o Brasil.

Isso me mostrou generosidade, confiança no próximo e empatia. A família que me acolheu na Argentina também agiu de uma forma muito marcante: eles não tinham muito e não sabiam por quanto tempo iriam ficar presos por lá, mesmo assim dividiram o pouco que tinham de alimento e deixaram um estranho dormir em seu quintal. 

Dá pra ter ideia do quanto aprendi viajando através dessas experiências ímpares!

 As comidas locais também ensinam

Deixei por último, mas porque isso tem um valor diferente pra mim. Você que acompanha meu blog sabe o quanto gosto de relatar experiências através dos pratos que provei em meus destinos. Eu me surpreendo com cada novidade, como a Parrilla Uruguaia que a mãe de um amigo fez pra mim. O destaque foi um pepino recheado com ovo e queijos, sensacional! 

Durante minha vida de nômade digital pude experimentar um pouco da gastronomia de cada país, desde o churrasco gaúcho feito com as peças de carne inteiras, a parrilla uruguaia e argentina, com muita morcela (nosso chorizo  – linguiça de sangue). 

Os pratos feitos de alga do mar surpreenderam no Uruguai, o bolinho de alga vendido por todo o canto nas cidades litorâneas… E cada prato improvisado por aqueles que me acolheram nos momentos difíceis também me deixaram um aprendizado enorme.

Eu aprendi viajando muito mais do que se pode imaginar. Pra mim, sair de casa, mesmo com medos, ansiedades e perrengues foi muito importante para ser exatamente o que sou hoje. 

Agora, quero saber mais sobre a sua história!

Quais foram seus maiores aprendizados que você teve em suas viagens? Conte pra nós nos comentários!

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments