Deserto do Atacama no Chile: tudo o que você precisa saber sobre este lugar incrível

Deserto-do-Atacama-no-Chile_tudo-o-que-você-precisa-saber-sobre-este-lugar-incrível

Vai conhecer o Deserto do Atacama? Faz muito bem! Essa é uma região incrível e sem dúvidas um dos principais destaques da minha viagem de moto pela América do Sul.

Quem me acompanha por aqui há algum tempo sabe que fiz uma road trip de moto passando pelo Sul do Brasil, Uruguai, Argentina e Chile. 

Foram mais de 15 mil quilômetros por cenários de tirar o fôlego e, às vezes, o equilíbrio também. hehehe

Destes 15 mil km 16% foram no Deserto do Atacama. Percorri mais de 2,6 mil km neste bioma porque quando cheguei em San Pedro, percorrendo 1,3 mil km, precisei voltar em poucos dias para Santiago por conta da pandemia

Aproveite, compartilhe e salve essa matéria porque tem muita informação importante para quem está planejando conhecer o Deserto do Atacama.

O que você encontra nessa matéria sobre o Deserto do Atacama:

Se vai passar em Santiago do Chile, leia essa matéria também: O que fazer em Santiago do Chile: 38 experiências imperdíveis 

Ah! E um pouco mais para o Sul do ChileO que fazer em Puerto Varas, Chile, a cidade do vulcão Osorno

Já deu para perceber que o Deserto do Atacama é enorme, né? Porém a área mais turística da região é bem concentrada perto de San Pedro do Atacama

Se você gosta de viagens, te convido a conhecer a Expedição Farofa, minha jornada de moto como Nômade Digital pelo Brasil conhecendo Lugares, Culturas, Pessoas e, principalmente, Culinárias Regionais – tudo também está lá no Instagram:

Quem sou eu

Rodrigo Schmiegelow, publicitário especializado em Marketing Digital, hoje vivo como Nômade Digital, isso é, tenho liberdade geográfica e trabalho de qualquer lugar do mundo.

Iniciei uma viagem pelo mundo para conhecer lugares, culturas e culinárias regionais e vou trazer grandes surpresas a partir dessas experiências.

Siga o blog do Projeto O Mundo em Lanches pelo Instagram e acompanhe todas as novidades.

Deserto do Atacama: tudo o que você precisa saber sobre este lugar incrível  

Não canso de falar que é um lugar incrível, então anota tudo aí e aproveite muito! 

Tamanho – Atacama no Chile

O Atacama do Chile surpreende por sua grandeza: 

  • Estima-se que tenha pelo menos 105 mil quilômetros quadrados ou 128 mil quilômetros quadrados se as encostas inferiores dos Andes forem incluídas
  • Tudo isso em 1 mil quilômetros de extensão e, por incrível que pareça, mesmo sendo deserto existem muitas mudanças de cenários, viajando de moto pude vivenciar isso tudo. 

Bioma

O Bioma do Atacama é o Deserto, denominado dessa forma os biomas encontrados em regiões de baixa umidade com grande variação de temperatura ao longo do dia. 

Também tem pouca ou quase nenhuma precipitação ao longo do ano com clima predominantemente seco. 

O terreno do Deserto do Atacama, em sua maior parte, é pedregoso, lagos de sal (salinas) e areia. São poucos os trechos com dunas como vemos em filmes ou em desertos como o da Namíbia, inclusive não vi nenhum desses por lá. 

O Deserto do Atacama, é o deserto considerado na maior altitude do mundo (em passeios comuns pode-se subir 4,8 mil metros em relação ao nível do mar – e ir ainda mais alto em trekkings pelos vulcões).

Também é o mais seco dos desertos não polares (o Deserto Antártico, por exemplo, é ainda mais seco). 

Temperatura

Suas temperaturas variam entre 0 °C à noite e 40 °C durante o dia. 

Por conta destas condições existem poucas cidades e vilas nesta enorme área. 

Uma das mais conhecidas dessas cidades é San Pedro de Atacama, que tem pouco mais de 3 000 habitantes e está a 2 400 metros de altitude. 

Melhor época para visitar o Atacama no Chile

Por ter clima seco com pouca precipitação (chuva) pode-se visitar a região o ano todo. 

Estive lá no começo de março e peguei dias bem quentes e noites amenas (não tão frias assim, cerca de 20º). 

Porém tem muita variação de temperatura no Deserto do Atacama:

No inverno: 

O pico dos morros e vulcões altos têm neve e, na cidade, as temperaturas variam entre 1º e 20ºC-podendo haver temperaturas negativas em noites frias. 

No verão: 

As médias oscilam entre 5º e 25ºC e podem passar dos 40ºC em dias extremos.

Com essas informações, o melhor período para conhecer a região é o que terá o clima mais adequado para o seu gosto. 

Mas nunca esqueça do protetor solar e da manteiga de cacau. 

Vida selvagem

Durante minha viagem de moto e em alguns passeios que fiz, tive a sorte de avistar alguns animais selvagens no Deserto do Atacama, o interessante é que muitos deles também vivem na Patagônia com ambiente totalmente diferente.

Pesquisei mas não encontrei quantas espécies habitam o deserto chileno mas listo algumas das principais que podem ser encontradas por lá.  

Animais Selvagens que pode ser observado no Atacama no Chile:

  • Vizcacha

um roedor que lembra o coelho, mas que na verdade está mais relacionado às chinchilas. Vivem entre 800 e 4.000 metros acima do nível do mar nos Andes, em encostas íngremes e rochosas usando buracos e fendas como abrigos – foi desafiador ver a primeira Vizcacha mas depois que que avistei a primeira, parece que apareceu um monte, não sei se foi o olhar adaptado a hora delas tomarem o solzinho do meio dia.

  • Flamenco chileno

Encontrado em maior abundância no norte do Chile, mais precisamente na Reserva Nacional los Flamencos, onde se reproduzem, essa espécie viaja por todo o território nacional podendo ser avistada na Patagônia também.

Como estive lá em janeiro, vi apenas um ou outro pelas lagoas que passei nos passeios turísticos. 

  • Zorro culpeo

Esse animal gostaria muito de ter avistado, o pessoal do meu passeio chegou a ver o Zorro culpeo, essa que é a maior Raposa Chilena.

Caçadoras oportunistas, as raposas se alimentam de pequenos mamíferos, como lebres, camundongos e outros roedores, como degú e vizcacha, bem como pássaros e frutas, como molle e peumo.

  • Guanaco

Encontrados geralmente em grupos, esses animais estão em todo o território Chileno. 

Eu cruzei com alguns bandos, geralmentes formados por um macho dominante e várias fêmeas, no Deserto do Atacama em regiões bem distintas, uma vez perto do nível do mar logo que entrei nas estradas dessa região, outra a quase 4 mil metros do nível do mar nas lindas planícies da região.

  • Vicuña

Parente dos Guanacos, a Vicuña é um dos camelídeos sul-americanos que não foram domesticados como a lhama e a alpaca. 

Menores do que seu primo, guanaco, podem pesar até 65 kg. 

  • Ñandú

A gente está falando bastante de parente por aqui, o Ñandú também é, é primo do avestruz, porém menor e também não pode voar devido ao peso e suas pequenas asas.

Ñandú-Animais-no-Atacama
Ñandú Animais no Atacama

Por conta disso precisaram aprender a correr, são excelentes corredores que atingem velocidades de até 70 kms por hora.

População

Como já falei por aqui algumas vezes, o Deserto do Atacama é muito seco, um dos mais secos do mundo. 

Mesmo assim, alguns grupos de humanos conseguiram se adaptar e viver na região durante os últimos 12 mil anos. 

Usando algumas técnicas para aproveitar o máximo possível do pouco de água e conhecendo muito bem a região, esses povos prosperaram no deserto. 

Vilarejo-do-Atacama-na-volta-do-passeio-dos-Gêiseres
Vilarejo do Atacama na volta do passeio dos Gêiseres

Hoje moram cerca de 750 mil habitantes em toda a região do Deserto do Atacama, grande parte dessa população está em cidades litorâneas como Antofagasta com aproximadamente 300 mil habitantes.

Também há vilas de pescadores e oásis, e cidades turísticas como San Pedro do Atacama.

O que mais me impressionou em minha Road Trip de moto pelo Deserto do Chile é que não importava o tamanho da cidade por onde passei, a economia que a move ou quão seca é, todas eram muito arborizadas com destaque para Calama (mais de 130 mil habitantes).  

Mudança de altitude – Atacama no Chile

San Pedro do Atacama, principal polo turístico do Deserto do Atacama, está a 2,4 mil metros do nível do mar. 

Já é uma altura considerável para o que estamos acostumados no Brasil, inclusive minha moto sentiu a altitude perdendo potência em algumas subidas da região. 

O deserto é enorme tendo uma grande área no nível do mar, porém, seu pico chega a 6,7 mil metros de altitude, é o cume do vulcão Llullaillaco que fica na Cordilheira dos Andes, na fronteira entre Argentina e Chile. 

Está localizado na Puna de Atacama, região de altos picos vulcânicos, que continua como um planalto no Deserto do Atacama. É incrível. 

E para fechar o assunto de altitude, reforço que alguns passeios que podem ser fechados com facilidade em San Pedro do Atacama, como as Lagunas Altiplânicas ou os Gêiseres de Tatio, têm mais do que 4 mil metros do nível do mar – então se prepare, eu senti bastante a altitude com um pouco de enjoo e no primeiro passeio, com forte dor de cabeça depois de algumas horas na altitude, mas com certeza valeu a pena. 

5 Curiosidades sobre o Deserto do Atacama

Um lugar tão grande e histórico guarda muitas curiosidades. 

Múmias mais antigas do mundo

Você sabia que as múmias mais antigas do mundo foram encontradas por lá? Eu também não, descobri ao escrever este texto.

Na verdade nem imaginava essa tradição em povos antigos da América do Sul.

Foram os povos Chinchorros, que eram caçadores, coletores e pescadores, e viviam na região que criaram essa técnica de mumificação extremamente eficiente, a conservação de seus corpos dura até os dias de hoje. 

Pesquisas bem antigas, de 1917, confirmaram a existência de múmias que datam de 7.000 a 2.000 a.c. Eu ainda não era nem nascido, nem na descoberta, muito menos na mumificação. Talvez nem os egípcios que começaram com a técnica apenas 2.000 anos depois. 

Agora o por que dificilmente ficamos sabendo desses fatos eu não faço nem ideia. 

Deserto florido

O Chile surpreende muito, muito! Lá no Deserto do Atacama tem um fenômeno chamado “deserto florido”.

Acontece apenas de 5 em 5 anos, surgindo das sementes de algumas flores e plantas que caem no solo e ficam protegidas do calor extremo abaixo da terra. 

Protegidas, as sementes conseguem umidade suficiente para germinar assim brotando flores coloridas pelo deserto. 

Esse fenômeno costuma acontecer na região de Copiapó, a 800 quilômetros de San Pedro do Atacama

O Caminho Inca

De Santiago, no Chile, a Cuzco, no Peru. Neste extenso percurso há um rastro conhecido como “Caminho Inca” que servia como rota comercial no tempo do Império Inca (aproximadamente de 1438 a 1533).

Até hoje o caminho esta demarcado em alguns trechos no deserto do Chile. .

As Cidades Fantasmas – Atacama no Chile

Cidades mineradoras que já foram prósperas e era habitadas por muitos trabalhadores, hoje estão abandonadas e parecem cenário de filme de terror.

Essas são as conhecidas Cidades Fantasmas e estão cada dia mais castigadas pelo clima rígido da região e debaixo da areia do deserto.  

Um dos melhores lugares do mundo para fotos astronômicas 

Por sua altitude e poucas cidades populosas (isso é, pouca luz artificial), o Deserto do Atacama é um dos principais centros mundiais para estudo da astronomia. 

Por lá se encontram grandes telescópios e também o conjunto de 66 antenas chamado Atacama Large Millimeter Array (ALMA) que observam as moléculas do Universo.

Mesmo para nós que não somos cientistas e gostamos de fotografia, essa região é incrível. 

Por lá existem muitos passeios para observar o universo é um dos mais famosos é o tour para fotografia astronômica. 

Você pode usar o seu próprio equipamento ou receber a foto do guia turístico, normalmente já incluso no pacote.

Mesmo que não queira um passeio turístico, saindo pelo menos uns 5 quilômetros de San Pedro por volta das 0h, consegue observar muito bem a via láctea e, se quiser, com um pouco de técnica, tirar ótimas fotos do nosso incrível universo.   

Onde se hospedar

Em minha Road Trip de Moto passando pelo Uruguai, Argentina e Chile eu não estava programando nada, simplesmente decidia o próximo destino alguns dias antes e partia dando uma olhada rápida no Booking ou Airbnb as possibilidade de hospedagem. 

Inclusive sugiro a leitura: Porque não planejar viagens? 

Então cheguei em San Pedro do Atacama sem nada reservado. Por sorte um cara passando de carro me viu e me convidou para conhecer sua hospedagem. Acabei fechando alguns dias lá mesmo. 

Em resumo, o lugar ideal para se hospedar é em San Pedro do Atacama, onde se encontra o centro turístico do Deserto do Chile. 

Por lá terá acesso a bares, restaurantes, lojas de souvenirs, agências de viagens e é de onde saem todos os passeios. 

As 13 Principais atrações turísticas do Deserto do Atacama

São muitas as atrações turísticas naturais da região, muitas mesmo. É até difícil conseguir aproveitar tudo. 

Além dos valores não serem baixos, San Pedro do Atacama é a cidade satélite da região, mesmo assim é comum ter passeios que se rodam mais de 100 km para chegar na atração principal, tornando a experiência cansativa – lembrando sempre que mesmo assim vale muito a pena. 

Geysers el Tatio

Na madrugada fria do deserto (mais precisamente 3ºC no dia que fui) parte o passeio para o Geysers el Tatio que fica a 4,6 mil metros do nível do mar. 

Gêiseres-de-Tatio
Gêiseres de Tatio

É preciso chegar bem cedo pois o vapor d’água criado pelos contado do lençol freático 35 quilômetros abaixo da terra entram em contato com a câmara magmática formando essa erupção de vapor que é mais intensa e melhor vista aos olhos humanos antes que a claridade do sol tome conta de tudo. 

É uma experiência incrível, e ainda é possível entrar em um pequeno lago de águas termais no parque El Tatio

Lagoa Chaxa

Um pequeno oásis na Reserva Nacional dos Flamingos, a Lagoa Chaxa é maravilhosa com montanhas e vulcões completando o cenário no horizonte. 

Reserva-Nacional-dos-Flamingos_a-Lagoa-Chaxa
Reserva Nacional dos Flamingos, a Lagoa Chaxa

Com águas ricas em plâncton e crustáceos costuma ser um local de reprodução para os Flamingos Rosas, porém, quando visitei no começo de março, pude avistar poucos desses animais se refrescando na lagoa. 

Laguna Cejar

Uma lagoa superficial salgada que fica no Salar de Atacama

O cenário é bonito, mas a experiência mais legal é poder flutuar na água salgada em meio ao deserto. 

Laguna Meñique – Atacama no Chile

Uau! Foi a única coisa que consegui pensar ao chegar na Laguna Meñique às 8h da manhã com o vulcão de mesmo nome refletindo nas águas completamente paradas da lagoa. 

Que cenário incrível. Fazem parte do passeio das Lagunas Altiplanicasclique e leia mais

Lagunas-Altiplanicas
Lagunas Altiplanicas

Ojos del Salar

Esse foi um passeio que queria muito ter feito mas acabei não conseguindo por tudo o que aconteceu – com certeza vou voltar para fazer o tour que também visita lagunas Escondidas de Baltinache e Laguna Tebinquiche.

Ojos del Salar são duas lagoas de águas escuras e, segundo relatos, sem fundo no meio do Deserto do Atacama, em uma região cercada de sal e algumas pastagens elas se mantêm de águas doces com uma delas liberadas para banho, que só acontece depois de um salto de 3 metros – separação da terra até onde começa a água. 

Piedras Rojas no Deserto do Atacama

Roja é vermelho em espanhol, com essa pequena explicação fica mais claro que o cenário em questão leva um tom avermelhado. 

Las Piedras Rojas é um lago de sal seco que ficou com esse tom devido aos fatores químicos das composições rochosas com a água salgada ao longo de anos. 

O passeio para apenas no mirante Piedras Rojas, é uma região muito protegida e com área delimitada supervisionada por policiais ambientais o tempo todo. 

Pukará de Quitor

Passei de longe na jornada de volta para Santiago.

A 3 km de San Pedro do Atacama, Pukará de Quitor é um sítio arqueológico com edificações de pedras construídas no século XII.

O objetivo era ser uma fortaleza e por essa razão está localizado em cima de um morro. 

Era também moradia e um local para armazenamento de alimentos. 

Pukará foi invadida pelos incas e posteriormente pelos espanhóis, que deixaram o local bem destruído, por sinal. 

Salar de Atacama

O Salar de Atacama é um deserto de sal no Chile. 

É um local de paisagens incrivelmente lindas localizado a 55 km ao sul da cidade de San Pedro de Atacama

Cercado por montanhas deixa sem saídas para drenagem de água.

Salar de Tara no Deserto do Chile

Um tour de um dia inteiro que também acabei não conseguindo fazer. 

Salar de Tara fica a 140 km de San Pedro e por isso o passeio leva o dia todo. 

Também na Reserva Nacional Los Flamencos, percorre trechos lindos chegando a beirar os 5 mil metros acima do nível do mar em alguns trechos..

Vale do Arco-Íris

Tour geológico que fica a 62 km de San Pedro de Atacama.

No Vale do Arco-Íris podemos ver uma certa variedade de cores naturais nessas terras devido à oxidação dos minerais presentes nessa formação rochosa. 

É possível ver diferentes tons de verde, laranja e marrom em uma combinação incrível!

Valle de la Luna

Será que o homem realmente pisou na lua ou ele foi ao Deserto do Atacama? 

Eu ainda não fui para a Lua, mas as imagens que já vi lembram muito o Valle de la Luna, ou vice-versa. 

Pertinho de San Pedro é possível fazer esse passeio até mesmo com algumas bicicletas especiais adaptadas ao terreno. 

Valle de la Muerte (ou Valle de Marte)  – Atacama no Chile

Seguindo a mesma ideia de nomenclatura, o Vale de Marte é uma região rochosa de tom avermelhado que talvez lembre o planeta Marte. 

Valle-de-La-Muerte
Valle de La Muerte

Também pertinho de San Pedro, pode ser visitado em passeios turísticos ou até mesmo a pé. 

Segundo o segurança do parque, o Vale também é conhecido como Valle de la Muerte por conta de um francês que vivia na região e trabalhava com turismo há algumas décadas atrás não conseguir pronunciar marte em espanhol. 

Vulcão Lascar

Só consegui observar de longe, mas existem tracking para subir neste  que é um vulcão ativo com 5.592 m de altitude. 

A última erupção aconteceu em 18 de abril de 2006. 

Em seu cume é possível avistar uma permanente fumaça que sai de sua cratera.

Culinária regional – Atacama no Chile

Se tem uma coisa que o sapiens faz bem é se adaptar. No Deserto do Atacama não foi diferente.

A população local soube aproveitar muito bem o que a terra dava para produzir alimentos e criar refeições atacamenhas. 

tipo-de-uma-goiabada-e-pure-de-batatas
tipo de uma goiabada e purê de batatas

Algarrobo

Uma leguminosa parecida com uma vagem. 

Na primavera chilena (de setembro e novembro), algumas ruas de San Pedro, ficam cheias dessas frutinhas no chão. 

A partir delas se faz a farinha de algarrobo, que é altamente nutritiva e pouco calórica. Também são utilizadas na produção da chicha, uma bebida alcoólica consumida em cerimônias atacamenhas. 

Batatas roxas

Uma das agriculturas mais diferentes da região do Atacama são as papas moradas, ou batata roxa. 

Pode ser servida em pedaços ou como um purê cremoso, mas não é tão fácil de encontrar nos restaurantes de San Pedro, então vale sempre perguntar para os garçons sobre essa iguaria.

Carne de lhama

Experimentar carne de lhama é meio básico para os carnívoros. 

Sua textura suave tem sabor marcante e está presente em vários pratos diferentes na região:

  • Sopas, 
  • Empanadas 
  • Picadas (ou a lo pobre – o prato feito local). 

Chañar – Atacama no Chile

O chañar é a fruta da árvore de mesmo nome parecida com a castanha.

Com ela se faz xarope usado em sobremesas ou para adoçar comidas. 

Coca

A folha de coca é bem conhecida e popular na região por ajudar a encarar a altitude. 

Está a venda por todos os cantos, inclusive em saquinhos na Feria Artesanal, na praça central da cidade

Quínoa

A quinoa é o grão andino. Dentre os vegetais é um com os maiores valores nutritivos. 

Um dos melhores preparos é o quinotto, o risoto de quinoa.   

Infraestrutura de Estradas – Atacama no Chile

A infraestrutura das estradas no Deserto do Atacama me surpreenderam muito! 

Ciclista-em-Estrada-no-Deserto-do-Atacama-com-Vulcão-no-Horizonte
Ciclista em Estrada no Deserto do Atacama com Vulcão no Horizonte

Acho que por acompanhar alguns viajantes de moto que se arriscam no meio do deserto, achava que ia ser tudo areia, mas pelo contrário, todas as estrada que passei de moto estavam asfaltadas e muito bem asfaltadas, inclusive cheguei a cruzar com carro pipa jogando água no asfalto, possivelmente para não deformar. 

Como cheguei sem saber muito bem como seria, fechei alguns passeios com pacotes turísticos com receio das estradas, mas todos os passeios que fiz também passavam por ótimas vias.  

Vale a pena fazer Road Trip para o Deserto do Chile?

Se gosta de viajar vale muito a pena. 

estradas_montanhas-e-vulcões-no-Deserto-do-Atacama
estradas, montanhas e vulcões no Deserto do Atacama

Eu fui a partir de Santiago, então peguei muitos trechos que não tinham praticamente nada no caminho. 

Todos os outros viajantes de moto que conheci tinham vindo de Argentina em todas com mais coisas para fazer. 

Opções de transporte  – Atacama no Chile

Existem voos diretos do Brasil para Calama, Antofagasta, Chile, cidade que fica a 100 km de San Pedro do Atacama, de lá é possível pegar um transfer ou ônibus rodoviário. 

Pela Sky Airlines é possível pegar voos com bom custo benefício de Santiago a Calama. 

Algumas pessoas que conhecia faziam essa trajeto de ônibus, normalmente parando em cidade no caminho. 

Se cadastrando no O Mundo em Lanches você terá várias dicas como essa, deixe seu nome e email e acompanhe essa e a Expedição Farofa:

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments