Experiência em Ilha Grande, Angra Dos Reis

experiencia-em-ilhapgrande-angradosreis

Quer saber como foi minha experiência em Ilha Grande, Angra dos Reis?

Eu sou a Giovanna, irmã do Rodrigo, o dono deste blog. 

Fiz um passeio e contarei minha experiência em Ilha Grande, Angra dos Reis para vocês.

Tudo começou com uma ideia de dar um presente especial para uma pessoa especial, então eu pensei e pensei e não achava nada que fosse legal para dar de aniversário.

Foi aí que eu tive um “boom”. Eu adoro viajar e colecionar momentos em passeios com as pessoas, então pensei: por que não fazer um passeio super bacana e ter uma experiência em Ilha Grande incrível?

Então eu comecei a pesquisar passeios em excursão e agências de viagem e turismo e fui achando uns muito legais das quais eu ainda quero fazer, uma delas será para o Beto Carreiro e voltarei para contar essa história, e dentro delas estava um para um lugar perfeito em uma data perfeita para a gente, nos famosos e preciosos feriados de São Paulo.

Aproveitei a oportunidade e comprei minha passagem para Ilha Grande, Angra dos Reis

E lá estava o meu pacote de viagem para ter a melhor experiência em Ilha Grande, Angra dos Reis.

Eu estava bastante empolgada e o meu amigo também. Eu olhava quase todos os dias o clima que estaria o passeio, porque estava com medo de ser frio, e todo dia que eu olhava estava frio kkk. 

Já tinha combinado com meu amigo que iríamos entrar no mar mesmo que tivesse congelando, até porque não é todo dia que estamos na Ilha Grande, né?!

O roteiro do pacote era o seguinte: o ônibus partiria às 23:30 do terminal no dia anterior da viagem, chegaríamos às 7:00 da manhã em Angra, embarcaríamos na escuna às 9:00 e voltaríamos para o ônibus às 16:00 para chegar às 22:00 em São Paulo.

O pacote total foi 169 por pessoa e mais 90 reais o passeio de escuna.

Eu acredito que valeu bastante a pena, a começar pelo preço da gasolina que se fosse apenas nós dois de carro, a gasolina sairia mais do que todo o pacote kk. Além do fato que podemos ir dormindo no ônibus, o que já nos deixa relativamente descansados para aproveitar o dia. Também tem o fato de não precisar ficar se preocupando com estacionamento, organização do passeio, carro etc.

Então para nós compensou bastante. Eu com certeza faria mais vezes, assim como irei haha.

O dia anterior – experiência em Ilha Grande

No dia anterior ao passeio, eu estava organizando a festa surpresa da minha irmã, então foi uma loucura.

Ocorreram vários imprevistos e foi uma história bem engraçada e por sinal um dia muito divertido que posso contar mais para vocês em outra matéria, se vocês quiserem.

Mas enfim, eu teria que sair da festa um pouco antes dela terminar para que eu e o meu amigo, Jonathan, pudéssemos chegar a tempo no terminal. 

A festa estava tão boa que foi difícil de ir embora, a gente olhava o relógio e falava “mais 5 minutinhos, né?!”, “só mais 10 e a gente vai”… e ficamos enrolando até chegar o último minuto. Então fomos nos despedir do pessoal, e quando foi dar tchau para a aniversariante, ela fez questão de cantar parabéns antes que fossemos.

Fiquei desesperada achando que chegaríamos atrasados, antes de apagar as luzes eu já estava puxando o parabéns haha. Cantamos o parabéns e estava tudo lindo.

Roubei uns 4 brownies para comermos no ônibus da viagem kkk. Eu havia encomendado pela loja Laurica da minha amiga, estava maravilhoso.

Então subimos para pegar nossas malas (a festa era no mesmo condomínio que nossos apartamentos) e marcamos de nos encontrar em 5 minutos. Eu cheguei lá embaixo com tudo pronto e o Jonathan me esqueceu a blusa de frio e a toalha, ai eu quis matar ele kkk.

Enquanto ele subia de novo, eu fui chamando o Uber com medo do Uber cancelar a viagem e atrasar ainda mais.

O Uber não cancelou!!!!! uhullll.

Chegamos no terminal e seguimos a orientação do pessoal de lá. Eu nunca tinha pego ônibus ali, era muito grande, muitos ônibus de viagem, tinham vários lados… em resumo eu estava perdida e o Jonathan estava indo na minha onda já que eu tinha organizado tudo.

Pois bem, no pacote estava escrito que era portão 6, então parei no primeiro que estava com este número.

Mas estava muito estranho, já eram 23:00 e o ônibus não estava lá, fiquei perguntando para os ônibus que estavam lá, confirmando se era Portão 6 mesmo e todos dizendo que sim. Então esperei… esperei… e, esperei. Deu 23:30 e nada do ônibus chega lá.

Eu já estava surtando, entrei nas informações do pacote, meu 3G não estava pegando, eu estava com menos de 5% de bateria e meu celular é viciado. 

A sorte foi que a mãe do Jonathan queria saber as informações da viagem, então tirei print de tudo para ele no Uber e mandei na nossa conversa. Foi aí que percebi que estávamos no lugar errado.

A gente saiu correndo pelo metrô porque estávamos no lado errado, a gente corria e corria, mas não sabíamos para onde ir kkk. Então vimos o segurança e perguntamos o local que queríamos, mas ele estava conversando com uma mulher e a mulher falava devagar e a gente esperando ela para de falar e ela não parava, isso já era 23:40 e eu morrendo por dentro. kkk

Ele passou a informação para a gente e saímos correndo novamente, chegamos no lugar que ele falou, perguntamos para todos os ônibus e nenhum era da nossa agência e o desespero surgia novamente, eu não sabia mais o que fazer.

Eu colocava umas coisas no google maps aí dava mais de 1h de distância de mim, eu comecei a chorar (kkk) e o Jonathan tentando me acalmar e eu não sabia o que fazer, mas estava insistindo em pensar em ideias que fizessem dar certo aquele passeio.

Então eu tive a simples, mas brilhante ideia de olhar novamente o print com apenas 3% de bateria que poderia acabar a qualquer instante e lá estava o ônibus de mim, apenas 3 minutos.

Nossa, mas a gente correu com 500 malas nas costas, o celular na mão e a lágrima nos olhos.

Conseguimos chegar ao ônibus com a moça dizendo “fiquem tranquilos, a gente só saí 00:15”. Tranquila eu não estava a muito tempo, moça!!! haha 

Sentamos em nossos lugares e que calor!!! tinham esquecido de ligar o ar condicionado e a gente tinha corrido uma maratona, foi torturante até a moça perceber que estava desligado e ligar.

oseu-e-meu-amigo
eu e meu amigo Jonathan

Assim foi o nosso percurso até o ônibus!! haha

E esse é só o começo.

Durante a excursão – Experiência em Ilha Grande, Angra Dos Reis

Depois de um dia de correria dormimos no ônibus igual umas pedras, só me lembro de acordar às 7:00 da manhã em Angra dos Reis em uma parada para o Café da Manhã.

Hora que eu desci do ônibus e senti aquele frio junto com aquela garoa e o biquíni em minha mão, quase que eu desmaio kk. Mas estava um frio… minha nossa senhora, eu sabia que ia ter que tirar toda aquela roupa para colocar o biquíni e já me arrepiava só de pensar.

Pois bem, eu não paguei minha viagem à toa e não é todo dia que se tá em Angra do Reis, coloquei meu biquíni e claro, a blusa de frio também kkk.

Vimos a paisagem linda do local que ficava num morro onde estava a curva do rio, uma pena que esquecemos de tirar foto, possivelmente devido ao frio que estávamos sentindo não estávamos raciocinando direito haha.

A verdade é que estava 20°C.

Novamente entramos no ônibus para que nos levassem para a escuna, era mais uma horinha até a chegada.

Descansamos mais um pouquinho e chegamos onde embarcaríamos na escuna, e lá fomos nós saindo naquela garoa num frio de lascar com um sorriso no rosto.

A escuna é como se fosse uma embarcação em alto mar que faz passeios com você, parando em praias, ilhas etc.

Neste caso, a nossa escuna nos levaria para a Ilha Grande. 

Entramos na escuna, sentamos em um lugarzinho bom e ficamos conversando e vendo a paisagem, até que começou a chover mais forte e a galera resolveu descer a lona cobrindo a visão.

Eu fiquei indignada que tamparam a minha visão, poxa! kk

Mudamos para um local onde não tinha lona para abaixar, para conseguir ver a paisagem.

Era tudo tão lindo, o mar bem verdinho, as ilhas estavam bem pertinho… a paisagem estava maravilhosa mesmo com o tempo nublado.

mar-de-angra-dos-reis
mar de Angra dos Reis

Foi então que 2 vendedores que tiravam fotos profissionais embaixo da água das pessoas começaram a divulgar o trabalho deles e fiquei com muita vontade de comprar, porque as fotos eram realmente muito lindas, mas eu estava com tanto frio que não sabia se iria entrar no mar.

Fizemos a primeira parada numa região chamada de Lagoa Azul, era em alto mar e onde as fotos seriam tiradas, visto que tinham bastantes peixinhos ali e conseguiriam aparecer nas fotos.

O pessoal entrou no mar e eu e o Jow estávamos crente que não iríamos entrar naquela água gelada. Mas aí fui vendo a galera, conversei com uma menina que fechou o pacote das fotos com a irmã, ela estava se tremendo de frio e falou brincando que se as fotos não tivessem ficado boas ela iria ficar doida porque não sabia nem nadar e pulou em alto mar.

Enquanto ela dizia aquelas coisas eu só pensava “eu paguei esse troço, eu vou aproveitar tudo que der, mesmo que isso me deixe resfriada”. Pois, então eu olhei para o Jonatham e falei “vamo, vai”, ele me fez uma cara de dó (kkk), mas disse que se eu fosse ele iria.

Hora que eu tirei a roupa com aquele frio gelado batendo em mim quase que eu não vou.

O Jonathan não quis ir primeiro então tive que ir. Detalhe: eu estava morrendo de medo daquele monte de peixe em mim.

>> Ta curtindo minha experiência em Ilha Grande? Então leia Ilha Grande Um Paraíso no Sudeste Brasileiro

Entrei no mar e que delícia!!! Ele estava quentinho (possivelmente porque nossos corpos estavam muitos gelados. Estava uma delícia, que bom que fomos. 

Chutei o Jonathan algumas vezes tentando me mexer bastante para que nenhum peixe encostasse em mim, mas ele sobreviveu e passa bem.

nadando=no-mar-da-ilha-grande
nadando no mar da Ilha Grande

Voltamos para a escuna e aí foi a hora do “vamos ver de verdade”, com o corpo molhado e aquele vento gelado batendo no corpo. Foi difícil, mas valeu muito a pena.

Fizemos uma outra parada em uma prainha de Ilha Grande, ela era linda, muito linda mesmo. A água era bem cristalina com a coloração bem verde.

Eu digo que aquela praia é mágica, porque abriu um sol tão gostoso.

Tudo bem que foi 5 minutos de sol kkk.

Brincadeira, o sol ia e voltava, mas ajudou muito a esquentar e conseguimos aproveitar mais a água. Mergulhamos e andamos um pouco.

Quando voltamos na escuna, ficamos tomando um solzinho lá na parte de cima, e foi bem relaxante.

Tenha sua prórpia experiência em Ilha Grande, veja Onde ficar em aventureiro ilha grande

Fomos para mais uma praia e ela é bem bonita, nessa nós não entramos no mar, mas andamos pela região, tinha um trilha que queríamos ter feito, mas não dava tempo.

Comemos um pouco e fomos em uma  missão de achar um lugar pro Jow fazer xixi. Por algum motivo encontramos uma escola abandonada no começo da trilha e o Jonathan foi atrás dela.

Voltamos e a escuna já estava lá. Agora estávamos indo para a nossa última parada, era uma outra praia, e nela tinha alguns restaurantes e pousadas.

Andamos um pouco lá, tomamos um sorvete e fomos para uma trilha. 

No caminho da trilha a gente encontrou um chuveiro de mangueira com a água morna, onde tiramos a água salgada do corpo e a friagem, foi um dos nossos maiores achados na passeio, ficamos muito felizes com ela kkk. Ainda abriu o sol o que ajudou a nos secar e foi o suficiente para queimar nossa pele.

Seguimos em direção a trilha que chegaria a uma outra praia, mas no meio do caminho ela já estava muito alagada, porque a maré estava muito alta.

Voltamos, sentamos no matinho e tomamos um belo de um solzinho, até que deu o horário da escuna voltar e embarcamos novamente.

Estávamos voltando para o ônibus e a escuna teve que parar em alto mar porque o motor estava quente, e isso atrasou a volta para casa em uma hora. Eu achei ótimo, deu mais tempo de ficar ali curtindo o momento e ainda uma das donas de uma agência de turismo que estava na escuna com a gente estava fazendo aniversário e deu bolo para todo mundo.

No ônibus vimos filme, dormimos, acordamos e comemos todos os doces que havíamos levado.

Infelizmente, não pudemos levar a cerveja que compramos para a escuna e ela ficou no ônibus, esta que por sinal caiu no chão daquela parte que fica no teto de colocar bagagem, na hora da ida, acordando o pessoal do ônibus, mas o que importa é que ela não estourou e as nossas cervejas estão intactas kkkk.

Esse foi a nossa experiência em Ilha Grande, Angra dos Reis, foi uma delícia, eu super recomendo, vale muito a pena! e todos os contratempos deixaram a nossa viagem diferente (kk), mas muito especial e gostosa.

Quem é meu irmão?

Publicitário especializado em Marketing Digital e atualmente Nômade Digital com a empresa caranaue, isso é, tem liberdade geográfica e trabalha de qualquer lugar do mundo.

Inclusive é por isso que pode ter experiências incríveis como essa.

Iniciou uma viagem pelo mundo para conhecer lugares, culturas, pessoas e culinárias regionais e vai trazer grandes surpresas a partir dessas experiências.

Siga o blog do Projeto O Mundo em Lanches pelo Instagram e acompanhe todas as novidades.

Acompanhe todas as publicações deixando seu nome e email

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments