Fronteira Terrestre: como foi entrar por terra na Argentina pós pandemia

fronteira-terrestre

Em pouco tempo muita coisa mudou, na primeira vez que entrei no país nem desci da moto, agora, no pós pandemia a fronteira terrestre da Argentina estava mais rígida, então conto aqui como foi entrar por terra na Argentina. 

Quem me acompanha sabe que eu estava em uma viagem de moto pela América quando a crise do Coronavírus apertou. 

Com pouco tempo para decidir, perdi o tempo para entrar por terra na Argentina ou na Bolívia e acabei voltando para o Brasil de avião em março de 2020. 

Minha moto ficou por 1 ano e meio parada na casa de um amigo em Santiago e agora pude buscar, veja aqui como foi o primeiro trecho da viagem: Viagem Internacional pós pandemia – a entrada no Chile 

Antes de continuar, quem sou eu:

Quem sou eu?

Antes de continuar deixei eu me apresentar. 

Rodrigo Schmiegelow, publicitário especializado em Marketing Digital, hoje vivo como Nômade Digital (o que é isso), isso é, tenho liberdade geográfica e trabalho de qualquer lugar do mundo.

Iniciei uma viagem pelo mundo para conhecer lugares, culturas e culinárias regionais e vou trazer grandes surpresas a partir dessas experiências.

Siga o blog do Projeto O Mundo em Lanches pelo Instagram e acompanhe todas as novidades.

O que são Fronteiras Terrestres:

Basicamente é a passagem de um país para o outro por terra.

Para que isso aconteça de uma forma legal, normalmente as fronteiras terrestres são feitas por estradas de acordo comum entres os dois países que fazem a divisão. 

Para controlar o acesso de quem entra e sai de cada país em todas as fronteiras terrestres se encontram as aduanas ou alfândegas. 

O que é aduana ou alfândega? 

É uma repartição governamental para controlar a entrada e saída de pessoas e mercadorias que chegam ou saem para o exterior. 

As aduanas ou alfândegas também cobram os tributos incidentes dos produtos que estão nessa transição. 

As aduanas não estão apenas nas fronteiras terrestres, também são encontradas em aeroportos e portos. 

Fronteira Terrestre: como foi entrar por terra na Argentina pós pandemia 

Estava bem tenso para fazer essa passagem por terra, tanto que nem aproveitei muito o trecho da Ruta 60 do Chile chamado Los Caracoles: uma serra com 29 curvas muito fechadas onde se ganha 700 metros de elevação em menos de 40 quilômetros.

Logo após Los Caracoles se encontra a Aduana Los Libertadores, no Chile, uma aduana enorme e muito bem estruturada. 

Demorei um pouco para conseguir passar por ela pois havia perdido um documento de entrada de veículos que recebi quando cheguei no país pela fronteira terrestre, há quase 2 anos atrás. 

Muito educado e prestativo, o oficial resgatou meu registro de entrada no país e conseguiu minha liberação. 

Antes da pandemia, se faziam os trâmites para entrada por terra na Argentina nessa mesma aduana, já que tem um oficial do país dos nossos hermanos por lá também. 

Dessa vez não foi possível, descobri na Aduana Los Libertadores que a Argentina também pedia uma Declaración Jurada para entrar no país.

Sem sinal de internet, o oficial liberou minha entrada na Argentina exigindo que eu preenchesse o documentos antes de chegar na Aduana Argentina Luján de Cuyo, 20 quilômetros mais a frente depois da passagem da fronteira terrestre entre Chile e Argentina.

Ao sair do túnel Las Cuevas, que fica bem na fronteira terrestre entre os dois países fui parada por um guarda que anotou minha placa em um “papel de pão”, me entregou o papel e mandou eu entregar na Aduana Argentina Luján de Cuyo. 

>> países liberados para brasileiros: entenda as regras

Chegando na aduana

O que precisei para entrar por terra na Argentina

  • Além da surpresa da Declaración Jurada que consegui preencher em um restaurante de estrada que tinha wi-fi;
  • Tive outra surpresa, precisei pagar um teste PCR oficial do governo que me custou U$ 60 logo em uma triagem onde já mostrei toda a documentação; 
  • Além disso entreguei o papel de pão que recebi ao passar pela fronteira terrestre;
  • Um PCR que fiz em Santiago 72 horas antes da viagem;
  • Meu passaporte, mas poderia ser o RG;
  • O documento da moto digital mesmo pelo app do governo brasileiro. 

Minha recomendação é sempre checar o site oficial do governo para ver como estão as exigências. 

No dia em que passei pela fronteira terrestre, dia 30/10/2021, só tinham duas abertas para entrar por terra na Argentina, essa de Santiago a Mendoza e a de Foz do Iguaçu. 

Dia 01 de novembro começaria o projeto de abertura das outras fronteiras terrestres, mas vale sempre checar quais estão abertas.

Depois de mostrar toda a documentação e passar por três oficiais diferentes, consegui entrar no país e me senti aliviado em dar mais um passo para volta com a moto ao Brasil. 

Acompanhe essa jornada pela newsletter:

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments