You are currently viewing Por que ficar em Atins quando for visitar os Lençóis Maranhenses
por que ficar em Atins

Por que ficar em Atins quando for visitar os Lençóis Maranhenses

Continuar como pequeno vilarejo rústico com ruas de areia é o principal motivo da resposta à pergunta: por que ficar em Atins como opção de onde ficar para visitar os Lençóis Maranhenses?

Quando saí para conhecer os Lençóis Maranhenses não sabia ao certo como iria visitar esse que é um dos mais famosos e lindos pontos turísticos naturais do Brasil. 

Eu costumo gostar de fazer as coisas no improviso, de chegar no local e entender melhor como as coisas funcionam e pegar dicas de quem é da região, e foi o que fiz ao aterrissar em São Luís do Maranhão.

Atins
Atins

Dessa vez quase deu ruim e eu já conto o porque. 

Leia Doce de Espécie, o sabor especial do Maranhão

Quem sou eu?

Antes de continuar deixei eu me apresentar. 

Rodrigo Schmiegelow, publicitário especializado em Marketing Digital, hoje vivo como Nômade Digital (o que é isso), isso é, tenho liberdade geográfica e trabalho de qualquer lugar do mundo.

Iniciei uma viagem pelo mundo para conhecer lugares, culturas e culinárias regionais e vou trazer grandes surpresas a partir dessas experiências.

Siga o blog do Projeto O Mundo em Lanches pelo Instagram e acompanhe todas as novidades.

Sobre Atins, a cidade de areia do Maranhão

Um vilarejo de pescadores com 1.500 habitantes cercado de areia fofa e com rara iluminação elétrica que chega a apenas algumas casas e pousadas, Atins me encantou justamente por isso. 

Sua localização fica na Foz do Rio Preguiça em encontro com o oceano atlântico, é a entrada leste para o Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses. 

Por que ficar em Atins? Um dos motivos é a aventura de como chegar no vilarejo

E é aqui que começa minha aventura que quase se tornou um perrengue. 

No hostel que eu estava hospedado em São Luís do Maranhão consegui um micro-ônibus turístico até Barreirinhas, a cidade que dá acesso à Atins e também uma das opções para visitar o Parque Nacional Lençóis Maranhenses. 

barco-para-chegar-em-Atin
barco para chegar em Atins

De Barreirinhas é possível pegar jardineira (tipo um caminhãozinho aberto que anda bem pelas areais) ou de barco: 

> Barco de Linha – navega pelo Rio Preguiça direto para o vilarejo, custa em média R$ 30,00

> Barco do tipo voadeira, custa em média R$ 90,00, e vai parando pelos pequenos vilarejos na orla do rio. 

Como eu não tinha agendado nada, cheguei na marinha por volta das 14h perguntando sobre transporte para Atins. 

O primeiro marinheiro, atracando sua embarcação, falou que poderia me fazer por R$ 500,00 – tomei um susto, não reservei, mas tinha pesquisado na internet uma ideia de valores. Agradeci e fui procurar outras opções. 

Na agência de viagens me informaram que só tinham barcos indo para Atins de manhã, essa hora só voltando. 

Por sorte, um outro marinheiro viu o meu movimento e falou que estava indo em um vilarejo no caminho buscar um casal para levar de volta a Atins e me ofereceu um espaço pelos R$ 90,00 padrão. Rapidamente subi na embarcação e aproveitei a viagem. 

Na volta também não tinha me programado, depois de fazer o que queria bem de manhãzinha saí procurando uma forma de voltar para Barreirinhas, e também por sorte, depois de rodar a cidade toda, consegui uma jardineira que me levou balançando por cima da areia enquanto pegava uma pessoa ou outra no caminho como um ônibus intermunicipal, gostei muito da experiência. 

Como se locomover pelo vilarejo? 

meio-de-transporte
meio de transporte

Comentei que é tudo de areia por lá né? Só para deixar claro, as ruas também são. 

Então uma simples caminhada pode ser bem desgastante debaixo de um sol de mais de 30 graus com pouca sombra no caminho. 

Por lá o mais comum é quadriciclo táxi, e logo que cheguei fui recebido por um desses sem querer. 

O cara já me abordou, perguntou meu destino e me alertou que eu não conseguiria chegar lá com aquela mala andando nas areias. 

Nem lembro o valor que paguei, mas depois, cada trecho percorrido era cerca de R$ 20,00, ou R$ 10,00 por perna em uma referência que consegui agora. 

Não é barato, mas alugar um para rodar por lá é muito, muito mais caro. 

Aproveitei esse motorista para marcar um passeio para ver o pôr do sol nos Lençóis Maranhenses. 

Onde se hospedar em Atins?

Eu fiquei na Pousada Nativa, uma pousada bem simples e mais em conta que consegui pelo booking, mas gostei da recepção, do ambiente e da limpeza. 

Por lá existem opções bem flexíveis, as em conta, como essa, são mais difíceis. 

Onde comer? – Por que ficar em Atins

Infelizmente não vou lembrar o nome de onde almocei, mas foi no último quiosque da praia, que estava bem cheio por sinal e comi uma deliciosa moqueca super bem servida, sobrou um monte porque não tinha opção individual e queria experimentar essa iguaria de qualquer jeito. 

Jantar na Pousada Maresia Atins, onde comi uma deliciosa pizza individual em um ambiente aconchegante com clima praiano de luxo, isso é, umas velas acesas, música ao vivo, lugar bem gostoso.  

O que fazer em Atins – o vilarejo onde ficar para visitar os Lençóis Maranhenses

Lógico, além de conhecer o Parque Nacional Lençóis Maranhenses, que consegui negociar com o motorista do quadriciclo um passeio particular e proibido (quadriciclos não podem entrar no parque, apenas as jardineiras) para ver o pôr do sol.uma das coisas que mais gostei foi de ir nos quiosques à beira mar e ver o nascer do sol na praia. 

Curiosidade e pontos de atenção do vilarejo 

Como é praticamente cercada pelo mar, muitas casas e hotéis já foram destruídos pela força da natureza na cidade. “O mar dá, mas o mar leva.”

O sinal do celular é raro e poucos lugares passam cartão, é sempre bom perguntar antes de consumir.

Espero que estes tenham sido bons motivos do por que ficar em Atins quando for aos Lençóis Maranhenses, se foi, me fale o que achou. 

Leia Parque Nacional Lençóis Maranhenses

0 0 votes
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments