You are currently viewing Viajar sozinho de moto, vantagens e desvantagens
viajar-sozinho-de-moto

Viajar sozinho de moto, vantagens e desvantagens

Viagem sozinho de moto pela América do Sul

Por coincidência conheci um grupo de motociclistas no final da estrada de São Paulo no início da minha viagem. 

Esse grupo era composto por pessoas do Recife que acabaram se juntando com gente de Florianópolis, a ideia era ir para Ushuaia. 

No final, acompanhei eles até Curitiba andando de comboio pela primeira vez. Eles me convidaram para seguirmos viagem juntos, confesso que fiquei bem tentado a ideia. 

Seriam apenas 5 dias e era meio que um atalho para os meus planos e locais que eu queria passar. Mas no final acabei não indo. 

De forma leve me chamaram de louco por viajar sozinho, para mim os loucos eram eles em fazer uma viagem tão intensa com longas distâncias percorridas diariamente. 

Cada louco com sua loucura. 

Quem sou eu?

Sou Rodrigo Schmiegelow, publicitário, nômade digital, sempre tive o sonho de viajar e conhecer cada porção do mundo, das culturas, das pessoas, da gastronomia…

Desde meus 16 anos eu tenho essa paixão, e desde que eu comecei a acreditar nesse sonho como algo que realmente poderia acontecer, foi quando eu reorganizei minha vida, juntei dinheiro, conquistei clientes que me ofereciam flexibilidade e fui para essa aventura.

Realizei uma longa viagem pela América do Sul no último ano passando por mais de 140 cidades em 5 meses e vou contar um pouco desta jornada por aqui, acompanhe!.

Hoje eu sou nômade digital, você sabe O que é ser nômade digital?

Hoje trabalho com Marketing Digital, uma das áreas mais flexíveis seja para atender os seus próprios clientes ou para abrir negócios online, conheça mais no meu site caranaue.com onde tem muitas matérias sobre o assunto. 

Por que eu preferi viajar sozinho e recusei o convite?

Na verdade por vários motivos. 

Viajar sozinho possibilita que eu siga meus desejos e planos.

A começar porque eu estaria abrindo um pouco mão do que eu imaginei e o que eu queria traçar para essa viagem. 

Por exemplo, eu queria passar pelo Sul do Brasil. Eu queria continuar com meu projeto  de conhecer lugares, culturas, pessoas e culinárias para o meu projeto O Mundo em Lanches. Além disso, enquanto eu acompanhava o grupo, eu percebi que não estava conseguindo curtir a paisagem, porque cada pessoa da turma tinha que ser responsável por algo, cada um tinha sua função, cumprindo metas etc.

>> Também escrevi essa matéria sobre viajar sozinho, leia aqui

Pontos positivos e negativos de viajar de moto sozinho. 

Vale ressaltar que é muito difícil estar sozinho enquanto eu viajo.  

Desvantagens de viajar sozinho:

1- Estar sozinho 

É muito complicado estar de fato sozinho. Por exemplo, existem trechos muito longos e desérticos, então muitas vezes eu passava por lugares onde eu não conhecia praticamente ninguém. Isso aconteceu descendo de Mendoza á Bariloche, na Argentina, passei por muitas cidades mineradoras, então elas eram muito paradas. 

Esse sentimento pode ser intensificado também por causa do clima, por exemplo nessas regiões o sol era muito forte e o cenário meio desértico com estradas de rípio e poucas paradas, isso me desgastou muito. Sombra? Fiquei sem saber o que era isso por alguns dias. 

nômade digital

2- Divisão de Custos 

Como o meu propósito é seguir com o projeto O Mundo em Lanches, muitas vezes quando vou comer em algum lugar, a comida quase nunca é pensando em um único indivíduo, mas sim em pretos compartilhados, então fica caro conhecer vários pratos. 

Vale levar em consideração que o baú da minha moto é preta e de plástico, então esquenta muito e acaba estragando com alguns alimentos  –  a vantagem é ter a comida quentinha na hora do almoço. rs

Eu gosto de me hospedar em hostel pelo custo-benefício e porque lá eu encontro pessoas com o mesmo perfil do que eu, como viajantes etc. 

Mas é difícil achar hostels em cidades pequenas, então acabo indo em Airbnb que tem o custo fixo, então fica mais caro para quem vai sozinho. 

Leia também Ficar em Hostel – Dicas de Viagem.

3- Coragem 

Lembra o grupo de motociclistas que encontrei no começo da minha viagem que iam para Ushuaia, o fim do mundo? Então eu também queria fazer o mesmo, mas só faria se fosse com um grupo

No final eu queria seguir para o Sul do continente. Mas eu estava ficando sem dinheiro já e não iria conseguir aproveitar o passeio da forma como eu gostaria, com direito a subir montanhas, visitar lagos e rios até chegar perto da Antártica. 

Então não fui. 

Mas na verdade não era só isso. 

Eu também estava com medo de fazer a viagem sozinho, sei que teria que enfrentar muito frio, vento e as estradas de rípio na continuação da Ruta 40 sem ter um apoio emergencial. 

Então atravessei para o Chile e cheguei até Puerto Montt, o mais ao sul que já fui. Essa cidade não gostei muito, mas Puerto Varas, apenas 20km de distância dela foi tão surpreendente que encerrei meu último texto falando sobre o Vulcão Osorno, visível nesta cidade. Leia essa matéria: Viagem pela América do Sul de moto.

Vulcão Osorno, Chile. Viajar sozinho de moto, vantagens e desvantagens
Vulcão Osorno, Chile

Só essas desvantagens em viajar sozinhos?

Essas foram as principais, é claro. 

Durante todos os  14 mil quilômetros passei por grandes perrengues como: a corrente de moto estourando em Valparaíso e as estradas desmoronando em La Jaula. 

Para mim ambos foram melhor estar sozinho, no primeiro consegui deixar a moto dentro de uma sala de um pessoal que morava na região, no segundo acampei por 4 noites em um vilarejo de 4 casas ganhando comida e chuveiro que talvez não estariam disponíveis para mais pessoas

Vantagens de viajar sozinho:

1- Liberdade

  • para escolher o meu caminho,
  • mudar de rota,
  • dormir onde quiser,
  • estender estadia em algum lugar que gostei,
  • ter o meu próprio ritmo, poder parar, respirar, fotografar,
  • ficar com fome sem me preocupar em deixar alguém com fome,
  • reduzir o plano inicial de rota porque não estava a fim de continuar naquele dia

Liberdade é sensacional.

Vejo muitos amigos meus esperando por pessoas que possam viajar com eles, mas é complicado, por exemplo, fiz  minha viagem de 5 meses, seria muito difícil encontrar alguém que possa e queira ficar todo esse tempo fora e que queira fazer a mesma rota. 

estrada-para-conceicao-do-ibitipoca
Estrada para Conceição do Ibitipoca

2- Conhecer pessoas

Isso faz parte da liberdade. Se eu estivesse com outras pessoas eu teria conhecido bem menos gente, quando estamos sozinhos nós ficamos mais abertos para conhecer o outro.

Tenho certeza que se eu estivesse com outra pessoa, eu nunca teria aceitado ir até o Andes, subido o Cristo Redentor com outro motociclista que eu acabei de conhecer, e foi uma das minhas experiências mais incríveis. 

Também uso muito o Couchsurfing, uma plataforma social que conecta viajantes – saiba mais nesta publicação que escrevi no O Mundo em Lanche.

Nela fico sabendo de eventos que as pessoas da região que estou compartilham, desde ida à algum bar para trocar ideia à festas. 

Os Hostel também me dão a oportunidade de conhecer pessoas do meu estilo e que são abertas, e isso me proporciona muitos laços de amizade e troca de conhecimento. 

3- Flexibilidade

Eu não costumo  planejar rotas, eu faço um simples esboços  de lugares que quero passar e conhecer, mas estou sempre disposto a atrasar datas, horários, mudar de planos, me juntar a outros viajantes etc., e isso me proporciona passeios muito mais inesperados e cheios de surpresas que são impressionantes. 

Você pode entender um pouco da minha preferência por não planejar rotas nesta matéria: Por que não planejar viagem.

5 1 vote
Article Rating
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments