Pular para o conteúdo

Ranking Comida Regional OML de 0 a 1000 quilômetros

O que é melhor: o sabor? A tradição? A exclusividade? Aproveitando minha bagagem, afinal, já percorri mais de 35.000 quilômetros experimentando pratos por aí, criei o Ranking de 0 a 1000, quantos quilômetros vale percorrer por esse prato regional.

Ranking Comida Regional OML de 0 a 1000 quilômetros
Ranking Comida Regional OML de 0 a 1000 quilômetros

Esse ranking que fica em uma base de dados é disponibilizado em forma de gráfico neste relatório faz parte do Guia Schmilan, entenda. 

Guia Schmilan Ranking de Pratos Regionais
Guia Schmilan Ranking de Pratos Regionais

Mas quem sou eu para fazer um Ranking desses?

Metodologia Marketing Digital por Rodrigo Schmiegelow - - o que me proporcionou ser nômade digital e conhecer tudo o que tem aqui no blog.
Metodologia Marketing Digital por Rodrigo Schmiegelow – o que me proporcionou ser nômade digital e conhecer tudo o que tem aqui no blog.

Quem sou eu?

Antes de continuar deixei eu me apresentar. 

Rodrigo Schmiegelow, publicitário especializado em Marketing Digital, hoje vivo como Nômade Digital (o que é isso), isso é, tenho liberdade geográfica e trabalho de qualquer lugar do mundo.

Idealizador da dottie, uma assistente pessoal virtual que oferece suporte para que o Criador de Conteúdo entenda os resultados e saiba o que precisa fazer para alcançar seus objetivos, conheça!

Iniciei uma viagem pelo mundo para conhecer lugares, culturas e culinárias regionais e vou trazer grandes surpresas a partir dessas experiências.

Neste ano estou com a Expedição Farofa: viagem solo de moto conhecendo culinárias regionais!

Siga o blog do Projeto O Mundo em Lanches pelo Instagram, TikTok e Youtube, além de acompanhar todas as novidades.

O que é o Ranking de 0 a 1000

Estou na estrada desde o final de 2019 realizando o sonho de conhecer as melhores comidas regionais entendendo um pouco da cultura que gira em torno dela. 

1000 é o quilômetro limite porque foi meu recorde percorrido em um dia de estradas. 

É uma distância suada, cheia de imprevistos e cenários diferentes e encantadores. 

A ideia inicial não era avaliar cada comida regional que experimentei, queria apenas curtir e experimentar.

Mas em apenas 5 meses de estradas, passei por quatro países, depois veio a primeira temporada da Expedição Farofa, trecho da viagem que estou percorrendo o Brasil, já rodei mais de 10 mil quilômetros passando por todas as regiões e por 10 estados brasileiros. 

Comecei a conhecer muita gastronomia diferente e a perceber que são vários pontos que fazem de um prato inesquecível e único.

Então criei o Ranking de 0 a 1000, quantos quilômetros vale percorrer por esse prato regional para começar a me organizar melhor, lembrar de cada sabor, e também de cada experiência que estou tendo nessa jornada. 

Como funciona o Ranking Comida Regional OML

Como sou nômade digital e vivo na estrada, no máximo a cada 15 dias estou em um lugar diferente experimentando os pratos regionais. 

Então comecei a avaliar a comida regional que experimento em 6 pilares diferentes:

Sabor

Sabor é o básico de qualquer alimento. Lógico, cada paladar é diferente do outro, então aqui conta aquele impacto inicial da primeira mordida, sabe? Aquele que marca e que te acompanha depois. 

Importante que para o Ranking Comida Regional o sabor não significa apenas ser gostoso, tem que ter textura, mistura de ingredientes e, de novo, impacto.

Chef Fefe de Goiânia - Maria Fernanda Gastronomy
Chef Fefe de Goiânia – Maria Fernanda Gastronomy

Conheça também o quadro Receita Contada, onde cozinho com pessoas da região que estou.

Exclusividade Regional

Tem muito prato regional, mas também tem muito prato que é da região mas é tão bom e tradicional que se espalha por todo lugar. 

Então aqui o ranking de 0 a 1000 quilômetros avalia o quanto aquele prato regional é exclusivo da região. 

Dessa forma consigo dar mais oportunidade para pratos que não são tão tradicionais ainda mas não encontrei igual em nenhum outro lugar.  

Exclusividade Restaurante

Para definir se um prato regional vale mesmo os quilômetros rodados as pessoas que o fazem e o lugar onde é feito conta muito.

Um simples arroz com feijão pode ser infinitamente diferente em dois restaurantes um do lado do outro. 

Então como a ideia principal sempre foi valorizar as pessoas que estão por trás de tudo, esse ponto vale muito no Ranking Comida Regional OML.

Custo Benefício para o Ranking Comida Regional 

O custo benefício não é o prato ser barato, é se valeu a pena o quanto foi pago por toda a experiência. 

Já comi em PF de R$ 15 que não valeu o custo benefício e em lugares a la cart (PF chique) de R$ 140 que sai satisfeito.

Lógico que o preço é importante e sempre vai ser indicado a partir de agora.  

Experiência

O que é a experiência? Conta atendimento, ambiente, se o lugar é bem diferente dos outros ou até mesmo onde fica o restaurante / quiosque / ou o que seja. 

Tradição

Claro, um prato tradicional da região traz um peso grande nas distâncias percorridas por ter história envolvida na maioria das vezes. 

Porém não é tudo e por isso existem vários outros campos de avaliação.

Inclusive um prato regional recente ganha alguns poucos quilômetros em tradição pelo potencial que tem de ser tornar tradicional.

Essa é a metodologia por trás do do Ranking Comida Regional

Concorda com esses tópicos? Para você, o que é mais importante, deixe nos comentários.

Mas agora vamos lá, a lista de todos os pratos que já avaliei pela Expedição Farofa ou na viagem solo de moto passando pelo Uruguai, Argentina e Chile. 

A base de dados do Ranking de 0 a 1000, quantos quilômetros vale percorrer por essa comida regional está sendo atualizada e aí vou ajustando aqui.